Últimas Notícias

Aulas de ciências e seus experimentos durante a pandemia


Aulas de ciências e seus experimentos durante a pandemia

Diante dos desafios que temos enfrentado no mundo diante de um cenário de pandemia, os docentes estão se reinventando e procurando diferentes maneiras de garantir e fortalecer o processo educativo dos estudantes, mesmo em tempos de isolamento.

No conteúdo de Ciências, as aulas práticas não deixam de acontecer, tornando-se um recurso metodológico facilitador do ensino-aprendizagem. Os alunos têm desenvolvido práticas com recursos e materiais simples que são usados diariamente, possibilitando, assim, o interesse e o desenvolvimento das habilidades e competências específicas propostas pela BNCC.

Abaixo algumas fotos, enviadas pelos estudantes, das práticas realizadas na disciplina de ciências com as turmas dos anos finais.



Transformações químicas


Misturas homogêneas e heterogêneas



Professora Yellen analisando estruturas do coração de um boi via aula on-line


Filtro caseiro




Praticando a sustentabilidade: os alunos criaram brinquedos e outros utensílios utilizando materiais recicláveis









A leitura na era digital



A leitura na era digital

    No mundo atual, pode-se agregar a tecnologia ao universo da leitura. O aprendizado da leitura e da escrita é considerado de suma importância para o desenvolvimento crítico e social da criança na fase escolar. Sem a leitura e a prática da escrita, a criança se vê distante de seu papel como aluno: ler e aprender a escrever de forma a expressar suas ideias, seus sentimentos e, assim, ser capaz de ler o mundo.
    Nessa perspectiva, o Colégio Franciscano Imaculada Conceição, numa parceria com a Árvore de Livros, disponibiliza aos alunos dos 5º anos do Ensino Fundamental mais de trinta mil exemplares de livros digitais, bem como atividades diversificadas que aguçam e desenvolvem a criatividade e criticidade das crianças, acesso a qualquer hora e em qualquer lugar por meio do computador, tablet ou celular, até sem internet. Para além do acervo, garante total apoio aos educadores com ferramentas de atividades, projetos de leitura e muito mais!  É a maior plataforma de leitura digital do Brasil e que auxilia as escolas de todo o país a semear a leitura.  Vejamos o que dizem seus administradores:
    “A Árvore de Livros é a solução digital de apoio às escolas que estimula a leitura crítica nos alunos, por meio de uma plataforma interativa, alinhada à BNCC e que utiliza o mundo como canal de aprendizado contínuo. A Árvore de Livros ganhou por quatro anos consecutivos o Top Educação, que premia as marcas mais lembradas entre as empresas que atuam na área. Em 2019, fomos finalistas no EdtechX, que reconhece as startups mais inovadoras do mundo, e integramos o ScaleUp Rio da Endeavor. Na nossa trajetória, já fizemos parte do StartEd para edtechs da Fundação Lemann, participamos do HackBrazil da Brazil Conference de Harvard e MIT; do Pitch Gov SP e do Pitch Gov Santo André, no qual fomos vencedores. Além disso, temos Selo GovTech da BrazilLab, que reconhece startups que levam inovação para dentro do setor público brasileiro”. 
    Nesse contexto, parabenizamos as alunas dos 5º anos, Rafaela Krasnowolski Cardoso, Rafaela Palmeira Lessa e Ester Gonçalves Brandão pelo 1º, 2º e 3º lugares no ranking da escola na liga de leitores da Árvore, realizada nesse primeiro semestre. 
    Conclui- se que o apoio da instituição e mediação do professor, ensinando e dinamizando com os alunos, e uma estrutura escolar bem organizada, possibilitam ao aluno- leitor alcançar um nível considerável de leitura, dentro de seus limites, na certeza de que ao ler um livro, ele aprende a “ler” o mundo.     

Reprimir afetos em tempos de pandemia

7/29/2020


Reprimir afetos em tempos de pandemia

Com base no senso comum e dados estatísticos, há informações de que o povo brasileiro é afetuoso, distribui abraços e beijos como forma de carinho e acolhimento. Essa teoria pode ser corroborada pelos dados da pesquisa veiculada no jornal O Povo, para 62% dos entrevistados, o carinho é fundamental em suas vidas. Apenas 28% das pessoas ouvidas durante o levantamento deram este mesmo status ao dinheiro.

Diante da pandemia decretada pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que assola os países indiscriminadamente com a Covid-19, doença infectocontagiosa provocada pelo novo coronavírus, medidas de prevenção e proteção estão sendo disseminadas pela mídia e órgãos da saúde. Claro que é sempre melhor prevenir do que remediar, portanto, as medidas profiláticas ainda são a melhor forma de conter o avanço da doença que pode ser letal.

Entretanto, a Psicologia afirma que abraços, contatos diretos são formas de fortalecer o sistema imunológico, porque durante o abraço, os hormônios responsáveis por combater infecções no organismo são liberados, deixando o corpo mais resistente às doenças.
Um hormônio especial, chamado oxitocina, mais conhecido como hormônio do amor, também é amplamente liberado durante o abraço, proporcionando uma sensação de prazer e bem estar físico e emocional, assim como uma forte sensação de segurança.
Porém, os dados alarmantes sobre o Covid-19 fazem-nos repensar hábitos culturais característicos da população brasileira. Assim, é preciso aderir às medidas de proteção contra o vírus, lembrando que um sorriso pode substituir os abraços, os contatos diretos até que a situação esteja sob controle. Não há motivo para pânico, mas uma forma de ajudar a combater a doença é fazendo a  nossa parte.
Por ora, economizemos no abraço, aperto de mão ou beijos, mas abusemos do sorriso, da empatia, da solidariedade, afinal, sorrir pode afastar qualquer forma de discriminação ou preconceito em nossa sociedade. 

Que em meio às preocupações e medos de contágio, os motivos para sorrir sejam maiores do que os que nos façam chorar o tempo sombrio pelo qual o mundo está a passar. Lembremo-nos de que tudo passa, e essa pandemia também vai passar.

Sabe-se que a afetividade no campo educativo é vista como um vínculo, laço que une professor e aluno, uma contribuição para romper limites e promover a aprendizagem. A afetividade possui grande importância no processo ensino aprendizagem, é com um bom relacionamento entre professor e aluno  que acontece uma aprendizagem satisfatória. A Psicopedagogia defende a importância da afetividade no desenvolvimento emocional e cognitivo do educando.
Tão importante quanto as metodologias de ensino usadas no cotidiano escolar é o espaço que o afeto ocupa na construção do conhecimento, afirmam alguns teóricos da psicologia do desenvolvimento, como Piaget, Vigotski e Wallon.

Nessa perspectiva, o Colégio Franciscano Imaculada Conceição sempre preconiza o espaço escolar como fomentador das  metodologias ativas, desenvolvimento socioemocional e intelectual de seus alunos. É  por isso que os professores têm criado e desenvolvido  projetos com os alunos. Projetos esses que extrapolaram os muros da escola, das nossas casas, permitindo que nesse momento atual vislumbremos uma nova escola que surge, mas para o Colégio Franciscano Imaculada  Conceição,  é apenas continuidade de práticas pedagógicas que são empreendidas com seus alunos em todos os segmentos da instituição.

.



Pensamento Computacional: reinvenção em tempos de pandemia

O conteúdo de Pensamento Computacional chegou ao colégio neste ano trazendo grandes novidades, através da editora educacional Mind Makers. A partir de propostas de metodologias ativas, as crianças colocam a mão na massa, desenvolvendo habilidades indispensáveis aos desafios do presente e do futuro. 
No programa de Pensamento Computacional, as crianças aplicam tecnologias digitais para solucionar problemas interdisciplinares. As aulas são baseadas em projetos onde as crianças utilizam técnicas de gamificação, levando-as a desenvolverem competências indispensáveis para os tempos de hoje. 
Em meio a tantas novidades nas aulas presenciais, nos deparamos com o repentino desafio das aulas remotas, e,  rapidamente, tivemos que nos adaptar sem deixar que a essência das atividades ‘maker’ se perdesse.
Neste período de pandemia, as aulas de Pensamento Computacional foram reinventadas e têm se mostrado cada vez mais importantes para que as crianças vençam os desafios, aprendendo com eles e fazendo desse conteúdo um importante aliado neste processo em que os computadores têm sido ferramentas essenciais para a aprendizagem. E o mais importante é que as crianças têm percebido que o Pensamento Computacional está presente em detalhes do cotidiano, tornando-se essencial para o momento em que vivemos hoje e que ainda iremos viver.

.

7/23/2020


A Capoeira como prática pedagógica na escola

O Colégio Franciscano Imaculada Conceição, sendo uma escola de vanguarda, sempre valorizou a cultura local e regional, tanto as tradições culturais de matriz afro-brasileira quanto  as de matriz indígena, seja através do Colóquio Afro brasileiro, seja através do Projeto Ererré. Em concordância com a lei 10639, sancionada em 09 janeiro de 2003, cujo propósito é o de incluir a temática da “história e cultura afro-brasileira” em todos os segmentos da educação básica e também com a lei 11645, sancionada em 10 de março de 2008, que inclui a “história e cultura indígena” no currículo escolar, a escola mantém em sua proposta pedagógica componentes curriculares e projetos que fomentam essas manifestações culturais, dando aos alunos a oportunidade de conhecer, explorar, reconhecer e se apropriar da nossa herança cultural.
Sendo assim, nosso colégio também conta com diversas oficinas especializadas, dentre elas a Capoeira, que é uma arte/luta brasileira criada pelos escravos no tempo do Brasil colonial e presente em todos os segmentos da escola. Com uma diversidade enorme de conteúdos, a Capoeira traz em si mesma muita história, música, ancestralidade, além, é claro, de muitos gestos, expressões e movimentos que, unidos, criam infinitas oportunidades e situações de aprendizagem de modo a favorecer o  desenvolvimento de diversas habilidades e competências de seus praticantes. Todo trabalho desenvolvido através da Capoeira tem respaldo no PPP( Projeto Político Pedagógico) e está em concordância com a BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR, documento que norteia as ações das instituições de ensino no país. 
A Capoeira no Colégio Imaculada é ministrada pelo Mestre Tetê (Paulo Roberto dos Santos Ribeiro), que é Mestre de Capoeira, Pedagogo, licenciado em Educação Física e pós graduando em Neuropsicopedagogia. Tetê é o idealizador do Projeto Capoeira/Escola em Governador Valadares e atua na área há vinte e oito anos, compartilhando seu conhecimento aqui na escola, em projetos sociais, além de pesquisar e divulgar a Capoeira no Brasil e no exterior, mantendo escolas de Capoeira na Europa, Oriente Médio e África.

Você está pronto para escolher sua profissão?

7/14/2020

O POP, Projeto de Orientação Profissional, da Rede Clarissas Franciscanas, contribui para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais dos estudantes do CFIC por meio de atividades diversas. Perfazendo caminhos do autoconhecimento, O POP possibilita aos alunos o acesso ao aplicativo móvel chamado KUAU. O objetivo é orientar os nossos alunos da 3ª série do Ensino Médio na escolha da profissão e do curso universitário. A KUAU é uma startup brasileira, com metodologia inovadora de orientação profissional, que foi desenvolvida a partir de pesquisas e trabalhos científicos nas áreas de Pedagogia, Psicologia, Tecnologia da Informação e Design. A tecnologia oferece um método estruturado com informação segura e confiável sobre diversas profissões e cursos universitários, uma verdadeira Mostra de Profissões permanente. A partir de uma jornada de conteúdos em vídeos de curta duração, cada aluno reflete sobre as profissões e descobre seus interesses, habilidades e competências através de um termômetro de afinidade. Assim, o objetivo do POP é preparar nossos estudantes para que possam fazer escolhas mais assertivas e felizes.



. .

7/07/2020

Olhares de respeito para as infâncias em tempos de pandemia

Já são de nosso conhecimento as inúmeras reinvenções realizadas pelas escolas, para o atendimento das crianças e adolescentes, em propostas remotas. Propostas que são possibilitadas por meio de estratégias diferenciadas  que vão se alterando a partir dos retornos e diálogos com todos os envolvidos. Afinal, falamos do lugar da Educação, da necessidade de nos reinventarmos sempre! Principalmente e urgentemente agora! Falar da Educação para as Infâncias, principalmente para a primeira infância, tem sido um desafio diário, mas que foi assumido pelo CFIC desde o primeiro momento do distanciamento social. Sempre trabalhamos com a ideia de respeitar essa fase e as suas singularidades, sem antecipar situações futuras, focando no desenvolvimento saudável e respeitoso, de acordo com as proposições legais para a faixa etária.

Dessa forma, inicialmente, situações brincantes, com objetivos de aprendizagem e desenvolvimento, foram enviadas para as famílias, para que as crianças desenvolvessem experiências lúdicas e interativas. Essas escolhas foram pautadas a partir do olhar para as experiências concretas, reais e significativas, seguindo o raciocínio que reflete a aprendizagem na educação infantil, por meio de dois eixos norteadores, das brincadeiras e das interações. Logo depois, reinventando novos passos, em tempos incertos e cada vez mais desafiantes, novas ações foram tomando conta do cotidiano, com vídeos feitos pelos professores, com o intuito de continuarmos sendo presença na vidas das crianças, realizando a necessária manutenção de vínculos e afetos das relações já construídas, além, claro, de sempre possibilitar aprendizagens, por meio de histórias, músicas e brincadeiras divertidas. Famílias, em suas novas reorganizações, foram convidadas a organizar essa nova rotina, em seus tempos e ritmos diferenciados.Ainda escutando as famílias e percebendo o movimento das infâncias, optamos por continuar mesclando situações, ora com vídeos gravados, ora com lives, para termos ainda mais um contato direto, reinventado possibilidades de estarmos juntos. 

Em nossa rotina, possibilitamos também lives de convivência (com mais de uma turma), lives das turmas, de grupos pequenos e lives individuais, para somar nas singularidades específicas das crianças. Temos enviado ainda vídeos, textos, links, e-books e outros materiais que ajudam as famílias a otimizarem a relação com a criança nesse período de distanciamento. Toda essa organização curricular, por meio de experiências concretas, diferenciadas para esse segmento da educação, potencializa o desenvolvimento infantil, ao respeitar os seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento propostos pela Base Nacional Comum Curricular, cientes da importância da criança conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se.

O CFIC, infinitamente, vem buscando diálogos e estudos para promover essa relação a distância, com situações pedagógicas e intencionais a cada prática pedagógica sugerida, envolvendo um trabalho minucioso da equipe de reflexão, seleção, organização, planejamento e monitoramento.Acreditamos, dessa maneira, que família e escola, juntas, precisam confiar que o currículo da educação infantil não é, no momento, uma adaptação para a educação a distância, e sim, um currículo excepcional, no qual as famílias abraçam o momento, acolhendo as situações significativas, pensando sempre no desenvolvimento pleno da criança. Novas ações em caráter de excepcionalidade, sim, mas de respeito sempre!

Importante, para o momento, é possibilitar situações significativas reais e concretas, potencializando as brincadeiras nas aprendizagens diárias, que envolvem as inúmeras relações que a criança vivencia com a família, acompanhada de escutas sensíveis e olhares atentos, compreendendo quais são as aprendizagens essenciais para a vida da criança. É tempo de acreditar na importância de uma rotina livre e brincante, com elementos estruturados e não estruturados, com a presença de elementos naturais, sempre permeados pela linguagem do brincar. É tempo de investirmos nas memórias afetivas deste momento, já visualizando os novos desdobramentos para o acolhimento do retorno, continuando um trabalho de respeito à vida de todas as infâncias.

O CFIC sempre prioriza o olhar para o sujeito-criança! Olhares de respeito, ações de compromisso e escolhas competentes.


Por Fabiana Costa Gonçalves
Coordenadora da Educação Infantil

 
Copyright © Colégio Franciscano Imaculada Conceição. Designed by OddThemes